"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O Ego: Curar a separação consigo mesmo



Na espiritualidade moderna se fala muito sobre o ego. Eu não me foco tanto no ego, já que tenho visto muitas pessoas ficando aprisionadas na luta conta ele ou tentando destruí-lo. Isto vem de um mal entendido muito comum: a ideia de que o ego é intrinsicamente mau ou até malvado, o que alimenta a crença de separação: a separação de sí mesmo.
   Não há nada de mau com o ego, ele é só uma proteção. O ego compreende a personalidade individual, as máscaras e as defesas que utilizamos para ocultar nossa insegurança. Para explicar isso, costumo usar a seguinte analogia:
   Imagine que você é um ovo de águia. Essa águia bebê que está dentro do ovo representa o amor-consciência, seu verdadeiro eu, seu máximo potencial. Entretanto, você não sabe que a águia existe, pois agora você é só um ovo. A casca representa o ego. A função da casca é proteger aquilo que ainda não está maduro, proteger a águia bebê do mundo até que  esteja pronta. Pode ser que esta casca se apresente como falso orgulho ou arrogância, como insegurança ou falsa humildade.  É a vozinha que sempre te coloca para baixo, te mantendo em sua pequenez, duvidando, desconfiando, preocupando-se. Existe alguma coisa errada com a casca do ovo? Não. Ela só faz o seu trabalho, proporcionando proteção até que a águia tenha crescido e esteja forte. Quando a águia bebê está suficientemente grande, começa a romper a casca. Quanto mais se expõe a luz, mais rápido a casca cai, porque com cada nova rachadura, a águia se dá conta de uma realidade mais ampla, que nunca antes havia conhecido, e portanto cresce seu desejo de libertar-se daquilo que limita seu crescimento. Quando finalmente se libera, a luz a envolve por todos os ângulos, enquanto ela se regozija na glória resplandescente de seu novo reino. Despregando suas asas, ela sabe que já não é a pequenez estreita do ovo, que na verdade ela é a rainha dos céus.
   Na sua viagem para o despertar, não tente destruir o ego nem lutar contra ele, pois ao fazê-lo,  você só está alimentando a separação. Em troca, coloque o foco em cultivar essa majestosa águia que está em seu interior. Quando a sua consciência estiver madura, o ego se desprenderá naturalmente sem nenhum tipo de esforço da sua parte, porque já não existirá mais nada para proteger.

Texto extraído do livro: "Vivir para volar" - Isha - Tradução Sonia Duarte

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Seminário e Intensivo do Sistema Isha no Brasil


I

Isha

Seminário e Intensivo do Sistema Isha no Brasil previsto para os finais de semana de:

Brasília:  20 e 21 de outubro 

São Paulo:  27 e 28 de outubro

O mestre Hernan virá ao Brasil para ensinar o Sistema Isha e para dar um intensivo para aqueles que já praticam. 
A programação integra o seminário e o intensivo num evento só, com grupos separados durante a manhã e juntos durante a tarde. 

Está previsto em São Paulo  a projeção do filme "Porque caminhar se você pode voar?" na Livraria Cultura do Shopping Bourbon, dia 24 de outubro à noite, para que as pessoas que queiram conhecer o Sistema Isha antes do seminário possam assistir ao filme lá.

Mais informações em breve!

Recomendo também a leitura do livro "Porque caminhar se você pode voar?" editora Fontanar
Para comprar procure em www.buscape.com.br/

Video-conferências: (só para quem já pratica o Sistema)

Belo Horizonte: 28/08 - terça-feira- das 20 às 22hs, no Clube Nacional - Rua Josafá Belo 100, Cidade Jardim.

São Paulo: 01/09 - sábado - das 16 às 18hs, na Rua Urimonduba, 77 ap 12 - Itaim Bibi 

Reuniões de Apoio: (só para quem já pratica o Sistema)

Belo Horizonte: 
Terças-feiras ( 20 às 22hs): Clube Nacional (Rua Josafá Belo 100, Cidade Jardim 
Sábados (15 às 17hs): Rua Álvaro Alvim, 126, Caiçaras 
Para mais informações escreva para: sviannaduarte@yahoo.com.br


Brasília: 
Para mais informações escreva para: fabianalsimoes@gmail.com 


São Paulo:
Sábados, das 16 às 18hs - Rua Urimonduba, 77 - ap 12 - Itaim Bibi 
Para mais informações escreva para: zgeraldo84@yahoo.com.br



Mestres Daise e Hernan em comemoração no La I - Uruguai

terça-feira, 21 de agosto de 2012

O Poder da Escolha



Como seres humanos, gozamos de livre arbítrio: o poder de escolha. Como conseqüência, nosso destino se redefine a cada momento.
Quando Bill Clinton perguntou a Nelson Mandela se sentia ódio por seus opressores, ele respondeu: “Me dei conta de que se eu continuasse a odiá-los, agora que saí da prisão, continuaria prisioneiro. Assim escolhi ser livre”.
Na busca da paz, existe algo de muito concreto que todos nós podemos contribuir. A cada momento podemos fazer uma escolha: escolher descansar na paz duradoura que existe dentro de nós mesmos, nesse exato momento e a qual ninguém pode nos tomar.
Da mesma maneira que ao aprendemos a depender do nosso ambiente nos enchemos de medo, podemos aprender a depender do nosso estado interior e encontrar uma segurança que é inviolável e permanente. Vamos encher nossa vida pessoal com paz, honestidade e transparência; isso vai contribuir para a paz mundial mais do que qualquer guerra.
Em nossa sociedade, geralmente respondemos as mudanças enterrando a cabeça na areia. Fazemos de conta que não existem. Nos tornamos rígidos, buscando a permanência ilusória da rotina para nos sentirmos seguros e no controle. Muitos de nós passamos a vida construindo a ilusão de um ambiente estável: uma carreira confiável, um casamento sólido e segurança financeira.
Não existe nada de mal em buscar o êxito material, uma relação estável, mas se nosso sentido de segurança depende dessa coisas, estamos construindo nossa casa sobre uma base frágil. Por mais que tratamos de ignorá-lo, não estamos no controle desse mundo errático e nunca estaremos. Quando nos damos conta da impossibilidade da permanência externa, então podemos começar cultivar a única coisa que pode dar autêntica segurança: a paz interior.

Isha (texto extraído do blog.isha.com)

Escolher é algo muito poderoso, mas também muito temeroso. Vocês já pararam para pensar que quando escolhemos alguma coisa, além de estarmos abrindo mão de outra, estamos também nos responsabilizando por essa escolha.
Para mim durante muito tempo na vida vida fazer escolhas era algo muito difícil. Ainda hoje, eventualmente me pego tentando analisar todos os ângulos antes de fazer a mais simples escolha. Da escolha do esmalte (gente tem cor demais) ao prato do restaurante, me pego tentando fazer a melhor escolha, a escolha perfeita.
Então me dou conta que a escolha é sempre perfeita. Porque até quando escolho não escolher, estou fazendo uma escolha. É impossível não escolher.
Então por que tanta dificuldade ?
Para mim, por trás da minha dificuldade em escolher, está o medo de errar. E o medo de ser responsável pelo meu erro, esse é o pior. E tem ainda o medo de não poder mudar a escolha feita, esse é terrível.
A única solução que encontrei foi não levar tão à sério as escolhas. Sabendo que posso escolher outra coisa a qualquer momento se não estiver satisfeita com a primeira escolha. Que as escolhas mesmo as mais acertadas, podem mudar com o tempo, e que a maioria das escolhas nem são tão importantes, na verdade tanto faz o que você escolhe, porque não existe garantia da escolha perfeita.
O que realmente é importante é como vou reagir a cada coisa escolhida. Aí sim, posso fazer uma escolha consciente como a do Mandela, porque como vamos reagir a cada escolha é nossa decisão e nossa responsabilidade. Esse é o verdadeiro poder da escolha.
Boa semana e boas escolhas,

Sonia Duarte









terça-feira, 14 de agosto de 2012

As vozes da minha cabeça

Há muitas vozes conversando dentro da minha cabeça. São debates entre opiniões que escutei de pessoas que admiro, são decisões que preciso fazer sobre meu tempo, meu trabalho e meu dinheiro, são argumentos que não usei e impressões, críticas e palpites sobre as situações a que assisto Hoje em dia, uma das coisas mais importantes para mim é usar um filtro criterioso sobre essas vozes. Não que eu não as escute ou lute com as diferentes opiniões do lado de cá. Se trata simplesmente de escolher por minhas próprias experiências e de escolher quais pensamentos vale a pena escutar Li uma entrevista do Brad Pitt sobre seu personagem no filme "Árvore da vida". O personagem era um pai de família muito duro consigo e com os filhos, que acreditava que a vida era dura e que estavam sempre tentando tirar vantagem dele e era isso que ensinava aos filhos. Brad Pitt, o ator, comentava que ao contrário do personagem, procurava não transmitir esses "pensamentos venenosos" aos seus próprios filhos e esse seu cuidado me pareceu algo valioso. Ele usou um belo filtro "anti-pensamentos venenosos Se me pego me comparando, me queixando ou mesquinho com meu carinho, sei que alguns desses pensamentos podem estar por aí, envenenando meu jardim. Então é hora de parar e escolher melhor os pensamentos.

Com essa reflexão, quero compartilhar essa música na voz (essa eu escuto sempre) da Fabiana Cozza http://www.youtube.com/watch?v=GR2AI-7f_Ac

Um abração e boa semana Geraldo Rodrigues



Reuniões de apoio dos estudantes Isha:
Belo Horizonte:
Terças-feiras ( 20 às 22hs): Clube Nacional (Rua Josafá Belo 100, Cidade Jardim
Sábados (15 às 17hs): Rua Álvaro Alvim, 126, Caiçaras
Para mais informações escreva para: sviannaduarte@yahoo.com.br
Brasília:
Para mais informações escreva para: fabianalsimoes@gmail.com
São Paulo:
Sábados, das 16 às 18hs - Rua Urimonduba, 77 - ap 12 - Itaim Bibi
Para mais informações escreva para: zgeraldo84@yahoo.com.br