"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sentir que nada tem sentido na vida

Neste vídeo Isha nos fala sobre sentir-se estancado e nada fazer sentido na vida.
Há legendas em Português.

Clique aqui: http://www.youtube.com/watch?v=PVyPevp-co8

Tradução: Fabiana Simões

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

O que é o amor? E como posso senti-lo?

Neste vídeo Isha nos fala sobre o que é o amor e a inocência.
Desde o Centro La I México, em seu darshan de fim de ano.

Desfrutem!

Clique no link: http://www.youtube.com/watch?v=WruwPk-s6hs


Ah! O vídeo está com legendas em Português!!! :-)))





Tradução: Fabiana Simões
Link original:http://www.youtube.com/watch?v=1rSXKvdY1bk

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Carlos Drummond de Andrade Ishando


DEFINITIVO

"Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento, perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional..."

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Qual é seu desejo neste ano novo?


Seja o que for que você deseje,
para que se realize
existe uma única palavra mágica: SIM!



Por Isha




SIM À VIDA
SIM A RECEBER
SIM AO AMOR
SIM A ABRAÇAR COM GRATIDÃO O QUE SE APRESENTE
SIM A PERSEVERAR
SIM A IR ALÉM DE ONDE CHEGAMOS
SIM A NOSSOS FILHOS PARA QUE CRESÇAM SENDO O MELHOR QUE POSSAM SER
SIM AO VIZINHO, DANDO PARA JUNTOS DAR MAIS
SIM SIM SIM

E enfatizo isto, em um dia tão especial, em uma semana tão especial, pois talvez seja tão automático que nem percebemos como nos fechamos a receber e a experimentar o que a vida nos traz.

Mas não tenho dúvida de que se o que experimentamos até agora não nos dá o que buscamos, a única solução é deixar de fazer sempre o mesmo e tentar algo novo. Ou seja, começar a dizer SIM ao que até agora dizíamos NÃO, para ver se ao menos por aí haverá mudança.

O medo de que nos rejeitem, o medo de que nos julguem por fazer mal as coisas ou diferentes do convencional, o medo de se expressar e não encontrar o que buscava, é o maior medo dos seres humanos. Em resumo: o medo de não receber a aprovação dos outros.

Armamos com esse medo uma série de prisões quase sem percebermos, cujas barras têm em comum estarem construídas com muitos NÃO.

Temos medo que nos digam NÃO e então mentimos para que nos aceitem, mentiras pequenas ou grandes, mas nesse mentir, nós dizemos NÃO a nós mesmos. Temos medo de não sermos aceitos e então usamos máscaras e fingimos ser algo que não somos, até que finalmente terminamos tão focados na aprovação exterior, que perdemos nossa própria aprovação, e é como se nos convencêssemos de que há algo fundamentalmente mal conosco.

Esses NÃO que dizemos automaticamente às novas possibilidades no cotidiano, os que respondemos de forma automática – você já reparou? – esses NÃO são apenas proteções que resistem à vida.

A vida é como um grande rio em permanente fluir que traz experiências novas e onde podemos ir escolhendo as formas de experimentá-las em cada momento. E o que é que fazemos? Nós nos recusamos, dizemos NÃO e rejeitamos de mil maneiras, e seguimos escolhendo estar sempre na mesma prisão, uma caixinha com barras de NÃO que nos mantêm dentro dos mesmos limites.

Aqui não podemos ver refletida nossa verdadeira essência, nossa verdade. Vemos e experimentamos apenas o que aprendemos, nossas crenças, nossa história, o que o medo nos permite ver, e nada mais.

Nós muitas vezes ficamos estancados pelo NÃO dos outros ou o nosso próprio NÃO, e isso é como se preferíssemos estar com os olhos fechados, seguir adormecidos, mesmo que isso nos faça sofrer, porque é o conhecido.

Aquele ditado: “melhor mal conhecido que o bom por conhecer”... Será isso o que move o leme do curso de nossa vida? Nosso medo?

A única forma de despertar à verdade de quem realmente somos, ao amor incondicional e à alegria, é justamente não tendo nenhum NÃO, não importa na realidade o que você esteja fazendo, pois se cada coisa que você escolher fazer a fizer com totalidade em um 100%, estará assim escolhendo expandir sua consciência. E se decidir enfrentar e curar seus medos, todo seu crescimento será mais rápido ainda.

Ao ir além de onde seus medos lhe deixam chegar, você está tirando a energia e o poder que eles têm sobre você, e a liberdade que isto leva, a experimentará em qualquer momento e em qualquer lugar, porque é interna. Por exemplo, quando vai por aí caminhando em sua vida cotidiana, fazendo qualquer coisa, poderá sentir um espaço aberto que vibra em alegria, que está em paz, que é amor.

Você começará a sentir que isto é o único que quer seu coração: abraçar a vida, abraçar cada momento. Quando seus NÃO não lhe impedirem o fluir da vida, você sentirá crescer o amor e a alegria, sentirá expandir esse SIM, essa presença do momento, do agora, do aqui, tomará consciência da maravilha que lhe rodeia e poderá valorizá-la. Você verá que o focar-se na apreciação, na gratidão e no amor será algo natural.

Verá que quando você se abre, porque SIM sente a abundância ilimitada do universo agora, você poderá recebê-la. Não que antes não estivesse, apenas que ao dizer NÃO à vida, nos perdemos de receber tudo que faz parte da própria vida.

E justamente disso se trata o que compartilho sempre com vocês: o expandir da consciência e estabelecê-la permanentemente, expandir a paz interna, a alegria, o amor incondicional a si mesmo, que é o tesouro mais valioso que uma pessoa pode ter e que logo pode compartilhar de forma incondicional com quem lhe rodeia e com todos.

E isto vai ser posto em ação. E quais são as ações da consciência? Falar a verdade, ser transparente, ser inocente, ser vulnerável.

Escondemos nossas emoções e o que sentimos, não dizemos o que realmente pensamos, e todas essas coisas que escondemos são justamente as ações da consciência.

Então lhe convido a ser real em cada momento, começar a ser vulnerável e a dizer o que sente, sem frear-se pelo que o outro pensa, já que será mais importante ser leal a você mesmo, para assim alcançar amar-se incondicionalmente, e você verá que nesse momento o externo lhe refletirá isso perfeitamente. Quanto mais íntegro e transparente você seja, mais isso será visto refletido ao seu redor.

Então lhe proponho, para acelerar seu processo de crescimento interno, seu processo de expandir o amor e a consciência, que comece a fazer uma lista daqueles lugares em que há um NÃO, nos que há máscaras que disfarçam algo mais, e assim, reconhecendo-as primeiro, poderá enfrentá-las e mudar.

E também comece a anotar os resultados dessas mudanças, mesmo que sejam pequeninos. Serão os novos brotos que você pode apreciar. Seguramente você começará a sentir-se melhor e com menos estresse, menos tensão nas relações, no cotidiano.

Ao começar a anotar também as pequenas mudanças e a felicitar-se por ir criando uma vida com expansão da consciência em cada momento, em cada lugar e em cada ação, terá um ótimo efeito interno.

Aproveite estas festas e estas férias para cultivar seu novo terreno, onde este ano você verá frutos de sua consciência crescer em abundância. Feliz férias e feliz aventura com você mesmo.

Tradução: Fabiana Simões
Texto original: http://www.losandes.com.ar/notas/2012/1/2/cual-deseo-este-nuevo-ano-616126.asp