"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

terça-feira, 31 de maio de 2011

AMOR CONSCIÊNCIA

Algumas pessoas se perdem completamente em suas relações, e a única coisa que importa para elas são os seus companheiros. Não estão focadas em amar a si mesmas e não falam sua verdade, sempre estão cedendo para não incomodar seus companheiros e, fazendo isso, perdem todo o seu poder. E isso é bom? Não, não serve de nada para o seu crescimento. Mas crescer com outra pessoa em uma relação, juntos como indivíduos, é algo muito mágico.
Lembre que para poder encontrar amor em outro, deve ter primeiro esta experiência dentro de si mesmo, porque o seu companheiro é o seu espelho. Se está carente de amor, isto é o que será refletido.
O verdadeiro amor em sua forma mais pura é incondicional. Isto é amor real. Vem de dentro e se move para fora. O verdadeiro amor dá a cada aspecto de si mesmo, sem necessitar nem transigir. O verdadeiro amor vem de um lugar de inocência. É amor consciente, e está realizado e completo dentro de si mesmo. Todos os outros tipos de amor que experimentamos tem condições. São o que percebemos como amor dentro da experiência humana, mas não são expressões do amor verdadeiro. Estes tipos de amor podem apresentar-se como amor romântico ou o amor de um amigo, um sócio de negócios, uma criança ou um animal. Mas este amor tem condições.
Quando somos plenamente conscientes, somos o nosso próprio par perfeito. Quando estamos tão ancorados dentro, muito profundo no amor incondicional, podemos estar com outra pessoa, mas já não é uma necessidade. Neste caso, o amor está focado em mais crescimento, em ser mais e mais amor. Não se trata de completarmos com outra pessoa, porque estamos completos, dentro de nós mesmos.

Pense na faceta: Amor me cria em minha perfeição

Texto envado por: Elizabeth Alfenas
Obrigada Beth por sua colaboração.

VELAS E REMOS- GERALDO COMPARTILHANDO

Falando em sonhos e em projetos de vida, todos os dias eu me pergunto: qual é o meu sonho? O quê é que eu quero fazer?
Algumas vezes a resposta vem com clareza e certeza e algumas vezes a resposta ainda está obscura, encoberta por uma névoa de incerteza e dúvida. Neste último caso, eu preciso aguardar até que se esclareça, como um pescador que espera o peixe morder a isca.
Quando tenho clareza do que quero fazer, é como se começasse uma viagem de barco. Aí conto com velas e remos. As velas são para aproveitar tudo que tenho a meu favor: o apoio dos amigos e família, minha curiosidade e o entusiasmo por me entregar a algo que me alimente a criatividade, as emoções, algo que me obrigue a sair da zona de conforto e me empurrar a caminhar por uma nova trilha.
Os remos são para que eu insista mesmo quando me falta o vento. Quando o medo ou a minha cabeça queiram me fazer caminhar de volta para minha zona confortável, sem muita cor ou brilho: os mesmos padrões de mediocridade e falta de originalidade e presença. Sei que isso não me leva adiante em meu barco, mas tampouco me torturo quando me flagro aí, me segurando nas cordas do ringue. Fico tão feliz de poder me aventurar de novo, que isso supera qualquer auto-cobrança.
Algo comum que também me passa é que algumas vezes os projetos iniciais mudam porque uma idéia nova surgiu ou porque uma primeira idéia não parece mais tão boa. A melhor forma para decidir é experimentar uma e outra idéia.
E colocar um prazo e comprometer-me com outras pessoas é outra forma de me empurrar a sair da velha zona de conforto para de novo pular no barco e começar a remar. E ajuda muito também quando outra velha companheira começa a me atormentar: a sensação de que nunca está bom o suficiente. Quando essa velhinha começa a me dizer que nada está bom, os prazos me ajudam a encontrar o melhor dentro daquele prazo. E a me lembrar que não há uma conclusão para um trabalho, estamos sempre evoluindo!
É o que eu quero compartilhar com vocês essa semana!
Um abração,
Geraldo


Texto enviado por José Geraldo Rodrigues
Obrigada Gera!

MÃES, ESCOLHAM AMOR PARA CRESCER

As mães de hoje se veêm confrontadas com um desafio múltiplo, cada vez mais extenso. Sua profissão ou atividade profissional competitiva, os filhos, a família e o mais importante: o aumento das inseguranças, os medos que se sentem magnificados, as incertezas, as perdas, as crises, etc, que afetam todos os âmbitos e relações , especialmente a relação consigo mesma, cuja expressão se dá em sua auto-estima, nos estados anímico ou saúde emocional.
Tendemos a classificar a boa ou a má mãe, mas somente existe este ser humano com função mãe entre outras, que está fazendo o melhor que pode fazer a cada momento. Eu creio no coração puro das pessoas com uma boa intenção, que posteriormente manifestam suas limitações e seu controle, porque estão com medo. Então o que eu sugiro a todas as mulheres, sejam mães ou não, é focar-se em si mesmas, em aprender a amarem-se incondicionalmente, pois assim, poderão amar a todos, filhos, companheiro, todos, sem sentirem nem exigidas, nem esgotadas e poderão descobrir uma fonte inesgotável de bem-estar, saúde, paz, alegria e amor.
Essa fonte está dentro de si mesma e isto é o que ensino, através da prática do sistema Isha começamos a eliminar as pegadas do medo e a expandir o amor dentro.
As mães se esforçam por dar, dar, dar a todos e elas ficam por último. Ao longo da história, temos recebido os comentários que se uma mães se ocupa de si mesma, é egoísta, mas realmente, honestamente, é assim? Como podemos esperar ter o necessário para dar a outros, se não temos para dar a nós mesmas? Todas sabemos internamente o que significa isto, eu sempre dava a todos ao meu redor, cuidava de todos, e terminava esgotada e com um ressentimento silêncioso que crescia até que transbordava. Todas entendem do que eu estou falando, não é verdade?
Pois o poder de mudar e tomar as decisões de acordo com o que necessitamos a cada momento está dentro de cada um de nós, não se perde nada em experimentar novas respostas, escolher de maneira diferente. As opções que temos são normalmente duas, escolher à partir do medo ou do amor, e como sempre digo: "somos o que escolhemos, escolham o amor".
Falando de forma prática, para que as mães se sintam melhores em sua relação consigo mesmas e na relação com os demais, seguramente terão que abraçar as mudanças, se estão sempre criticando-se ou criticando, começar a apreciar-se e a apreciar o ambiente, cada detalhe, se estão queixando-se, começar a agradecer pela coisa mais insignificante e pequena.
Você terá tudo a seu favor, se você se propõe a mudar, crescer, aprender a fluir em cada momento com o que a vida te trás. Não se pode controlar a vida, então nossa opção é crescer, expandir nossa consciência, aprender a amar-nos incondicionalmente e melhorar nossa qualidade de vida interna e externa, então a vida se torna um descobrimento, uma aventura a ser vivida, é deixar-se surpreender e estar presente a cada momento com o que é.
A mãe é uma mulher respondendo em diferentes oportunidades, a diferentes necessidades, se ela se foca em crescer, expandir sua consciência, em ser mais amor e viver esta liberdade, confiança, alegria e paz que essa expansão de sua consciência trás, sua expressão em diferentes áreas terá essa cor, esse aroma, compartilhará em cada momento sendo mais, seu ser brilhando em sua excelência. Desta forma criará uma maravilhosa vida, sendo mulher, um ser humao cada vez mais pleno. E sua prioridade interna deve ser estar em contato consigo mesma, seu sentir, sua expressão, compartilhando sempre sua verdade, sendo transparente e não transigindo com o custo do auto-abandono, mas dizendo exatamente o que sente, em cada momento e assim, criará exatamente isto e se sentirá bem consigo mesma e com seu ambiente.
Também como mãe, estará dando um exemplo de ser para seus filhos, de impecabilidade, de verdade, de sensibilidade, de ética e valores que são sua ação, de honestidade, da força que trás a vulnerabilidade, de amor, de alegria e sobretudo de paz consigo mesma, que inspirará a quem a rodeia.
A mãe, sendo um ser humano consciente, momento a momento, focada em seu coração, expandindo sua consciência, escolhendo o amor, sendo sensível, natural, sem máscara de forte, e esta é a presença da autoridade, não necessita ser uma imagem, é uma energia que se irradia de forma natural, que não tem medo e nem inspira medo, mas que se respeita e é respeitada de forma natural. A autoridade que irradia o amor , que se entrega a tudo e respeita. O mais importante é que esteja conectada consigo mesma e que se desfaça da fantasia, que não seja para que os outros lhe dêem, que não seja para ter algo para se agarrar (o filho), mas que tenha tanto amor em si que sobra para poder compartilhar. Senão, se transforma nestas situações esgotantes, pois havia imaturidade emocional. A mulher tem que poder e saber nutrir esta menina que está dentro e quando tenha que nutrir o filho no externo, será desde o amor e fluirá sem dúvida.
Tudo que tenho compartilhado com as mães, é válido para os pais, com o acréscimo de que terá que aprender a fluir com o dia a dia da trasformação física e emocional da mãe , momento em que terá uma grande oportunidade para compartilhar com ela a abundância de seu amor. E se neste momento o pai sente que não pode, é uma grande oportunidade para crescer neste aspecto, descobrir-se, ser mais e amadurecer, não mais menino, mas homem sensível, vulnerável, pro-ativo e todas as suas qualidades de ser.
E neste processo de transformar-se em mãe e em pai, de abrigar o crescimento deste novo ser chegando, sua sensibilidade, sua transformação inevitavelmente vai inspirando todos a seu redor a fluir e mudar também. Se tem transmitido através dos anos supertições e medos a mãe, que vão passando de geração a geração, perpetuando medos que talvez não sejam realidade de forma alguma. Hoje em dia, a tecnologia tão avançada , dá um opoio muito grande a futura mamãe e sua família e membros ao redor podem então atualizar-se e crescer , transformando a experiência da gravidez e a chegada do novo ser em uma grande celebração individual e coletiva. Um novo ser chegou vibrando amor incondicional, a liberdade absoluta e livre do medo, para nos dar o presente da plenitude, para os adultos recordarem aquilo que nosso coração sabe e criar desde uma experiência adulta, um mundo em paz , em celebração e amor, respeitando essa inocência verdadeira.


*ISHA, autora de “Por que caminhar se você pode voar?” (livro e filme)
Texto traduzido por Maria Valéria Guimarães

quinta-feira, 26 de maio de 2011

PERGUNTAS FREQUENTES


• É normal ter muitos pensamentos durante a unificação? SIM, É NORMAL.
• É normal ter poucos pensamentos durante a unificação? SIM, É MUITO NORMAL.
• É normal que surjam emoções enquanto unifico? SIM, É NORMAL. Somente se permita ser inocente com elas, sem reprimí-las nem julgá-las.
• Está tudo bem se durmo durante a unificação? SIM, É MUITO BOM, porque o que necessita é descansar.
• É normal ver cores? SIM, É MUITO NORMAL.
• É normal sentir frio quando estou unificando? SIM, É MUITO NORMAL.
• É normal sentir calor quando estou unificando? SIM, TAMBÉM É MUITO NORMAL.
• É normal sentir vibrações ou movimentos espontâneos em meu corpo quando estou unificando? SIM, TAMBÉM É MUITO NORMAL. É APENAS ENERGIA MOVENDO-SE.
• É normal recordar coisas de minha infância quando estou unificando? SIM, SE VEM DE MANERA ESPONTÂNEA.
• É normal ter visões, sonhos e recordações? SIM, É OUTRA FORMA DE LIBERAR NOSSO ESTRESSE.
• Devo tentar analisar minhas visões, sonhos e recordações? NÃO, SOMENTE É ESTRESSE LIBERANDO-SE. É LIXO QUE SE ESTÁ REMOVENDO, NÃO LHE DÊ NENHUMA IMPORTÂNCIA.
• É normal que reapareçam sintomas de velhas lesões e/ou doenças? SIM, SIMPLESMENTE ESTÁ SE COMPLETANDO O PROCESSO DE CURA.
• É normal escutar sons, sentir aromas ou sabores que não estão presentes no momento? SIM, SIMPLESMENTE A ENERGIA EM MOVIMENTO ESTIMULOU SEUS SENTIDOS.

Também pode acontecer que nada do que foi descrito anteriormente ocorra.
Neste processo NÃO analisamos os pensamentos, NÃO colocamos a mente em branco, NÃO nos esforçamos para reter os pensamentos, nem mesmo tentamos tirá-los de nossa mente.
O único que temos que fazer é observar os pensamentos deixando que eles passem e quando percebemos que não estamos pensando a faceta, escolher voltar a pensá-la. Pensamos a faceta e deixamos um espaço permitindo que de maneira natural venham os pensamentos ou o silêncio. Se não temos pensamentos depois de pensar a faceta, também é perfeito; isto é sinal de que neste momento estamos conectados com a consciência, com o infinito, com o espaço de paz ou de silêncio, como queira chamar.

Algumas vezes a prática é muito profunda, algumas vezes é superficial e cheia de pensamentos, nos dois casos a prática é perfeita. Quando estiver unificando com seus olhos fechados, não detenha a prática somente porque seus pensamentos te dizem que deve suspendê-la para fazer algo. Se queremos que o estresse vá embora, a forma mais rápida de conseguir isto é praticando o tempo sugerido. Não há nada mais importante que curar a si mesmo e você está fazendo isto quando unifica.
Qualquer coisa que aconteça de forma natural é perfeita. A experiência sempre está mudando, assim que de uma sessão para a outra seguinte pode experimentar coisas completamente diferentes.

Texto traduzido e enviado por Fabiana Lopes Simões

RECOMENDAÇÕES DO SISTEMA ISHA


Prática dos cinco primeiros componentes do Sistema Isha:

1- A Unificação
• Com olhos fechados:
Lembre de pensar a faceta no mínimo uma hora por dia. Esta hora você pode dividir em blocos, mas nenhum deles menor que 20 minutos. Poderia fazer três sessões de 20 minutos, duas sessões de meia hora ou a hora completa, dedicando a cada faceta um tempo de prática similar e pensando as facetas na ordem que você as recebeu.
• Com olhos abertos:
Escolha uma faceta de sua preferência e pense ao longo do dia enquanto faz qualquer de suas atividades cotidianas.

2- Focar no amor-consciência:
• Dedique a esta prática 10 minutos por dia. A princípio podem ser 5 minutos com os olhos fechados e depois os outros 5 minutos alternando os olhos abertos com os olhos fechados, para trazer sua experiência de consciência, seu espaço de silêncio e paz, como queira chamá-lo, para o exterior, para suas atividades. Logo, quando tenha conseguido encontrar este espaço, pode dividir estes 10 minutos ao longo do dia fazendo um minuto a cada hora.

3- Sentir suas emoções sem julgá-las:
• Deixe fluir suas emoções, não as reprima: se você está triste, chore, se está com raiva, grite ou golpei um objeto inanimado que não o machuque e se está com medo, abrace este sentimento, sentindo a sensação física em seu corpo e caminhe em direção a ele.

4- Exercício Físico:
• Realize uma atividade física que te agrade por 30 minutos ao dia. Ao longo da semana, se puder, faça vários tipos de exercício.

5- Tomar Água:
• É muito recomendável tomar entre um litro e meio a dois litros de água por dia.

Texto traduzido e enviado por Fabiana Lopes Simões

DEPOIMENTO DE FABIANA NOS 4 MESES EM LA I

Olá queridos,

Saudações desde La I - Uruguai! Como estão todos? Saudadeeees!
Completei ontem 4 meses dos 6. U-huuuuu! Vim compartilhar um pouco da minha experiência com vocês. Tentarei colocar em palavras sabendo que elas não são capazes de transmitir completamente tudo o que tenho vivido... Que é... UAU!
Sinto-me muito bem! Super-bem, melhor dizendo.
Minha coluna que antes andava ruim agora já não dói. Era estresse! kkkkkkkkkk
Tô pesando 51,400Kg!!! Praticamente uma Gisele Bündchen! Kkkkkkkkkkkk Não é para tanto, mas olha que tô ADORANDO estar assim magrinha. Tudo bem que precisava malhar um pouco porque os músculos (quais??? kkkkkk) estão parece gelatina. Ando de bicicleta por todos os lados. Tenho feito passeios incríveis!! (apesar do friiiiiiio) O céu daqui me lembra (um pouco) o de Brasília com suas cores. E tenho feito os 5 Exercícios Tibetanos que me estão ajudando a tonificar meu corpitcho. Mas esse não é o foco.
Já percebo quando saio de meu corpo e assim posso voltar e ancorar-me novamente. Claro que ainda me exalto, e não há nada mal com isso, mas só se expande a consciência estando ancorado, intonces...
Temos feito o exercício da consciência, em geral, uma hora por dia. E isso tem feito muita diferença. Antes eu não gostava de fazê-lo, achava chato... Sem graça... Mas um dia Sankara, em um meeting, nos disse que esse exercício servia para que identificássemos nossa experiência de consciência e aprendêssemos a reconhecê-la, para que ao longo do dia pudéssemos retornar à ela enquanto estamos fazendo algo. Assim, além de pensar a faceta com os olhos abertos, podemos também nos enfocar nesse espaço interno. Isso é o “enfocar-se no amor-consciência”, segundo passo do Sistema.
E agora é bem gostoso de fazer! Como posso explicar pra vocês? Humm... Inicialmente é sentir as batidas do coração... Tum-tum... Tum-tum... Depois sinto um calorzinho no peito... Às vezes vem uma vibração também... Mas isso é só uma forma mais fácil de eu ir identificando minha experiência (cada um identifica de uma forma e isso também vai mudando ao longo da prática) porque na verdade ela não é isso. É só o vazio... o silêncio... a paz que está dentro... e que sempre está. E que nos esquecemos dela. Em geral estamos sempre em nossa cabeça... em nossas idéias... em nossas histórias... em nossos dramas... E nos esquecemos de voltar ao coração. Nos momentos em que consigo conectar-me a ela é bem legal.
Em serviço me sinto mais presente, mais consciente de meu universo, cada vez me perco menos no fazer.
Me sinto conectada, amorosa e também cada vez mais direta ao falar minha verdade. Isso às vezes é confrontante... Ufa... Ainda me custa... Mas me empurro a fazê-lo.
Tô fazendo diariamente o exercício do espelho (olhar-se nos olhos durante 10 minutos pensando a 3a faceta), lendo os compromissos de estudantes e as cartas de Isha "para ler antes do meeting" e a de “vítima ou criador”. Também tem ajudado muito.
Estou percebendo estes lugares dentro de mim onde me coloco pequenina para não assumir responsabilidades. E decidi fixar-me em meu poder, em minha grandeza. Já está. Chega de abandonar-me. Quando percebo que caí neste buraco, sacudo a poeira, procuro soltar o julgamento quando vem e volto a pensar a faceta.
Tenho movido estresse de coisas antigas também. Às vezes vou expressar por causa de algo pequeno, como alguém que me olhou feio (sei lá, qualquer coisa que me mova) e depois sái um caminhão de medos antigos e tristezas represadas. É impressionante perceber como acumulamos emoções sem nos darmos conta. E que basta nos enfocarmos na energia do amor que as coisas velhas e agora inúteis vão saindo sozinhas. GALERAAAAA: o foco é na CONSCIÊNCIA, não é no estresse! Mover estresse é só limpar a casa para vivermos bem nela.
O mais impressionante disso tudo é experienciar, vivenciar, que de fato, tudo, TUDO, galera, está dentro de nós: a cura, o amor, a felicidade, a paz, a alegria e que nossa mente é uma máquina desenhada para pensar, pensar, pensaaaaaar e para nos fazer sofrer. E para sair do seu domínio basta nos enfocarmos em nosso coração. Nem necessitamos tentar parar a mente, porque isso é impossível, mas nos enfocarmos na consciência, na paz, no silêncio, no amor que está dentro de cada um de nós.
Este lugar aqui vibra em tão alta vibração de amor que é comovente! Os mestres são incansáveis e muito amorosos. Os meetings são incríveis! Sada está fantástica! Está a cada dia mais amorosa. O amor às vezes vem de forma firme e dura, que atordoa a alguns algumas vezes, mas continua sendo amor.
Sigo aqui em meu processo. Vocês continuam aí, mas em meu coração aqui comigo.
Mando uns textos que ajudei a corrigir. Ahhh!!! Tô até traduzindo em alguns meetings quando vem brasileiros! (Te mete!) kkkkkkk Meu espanhol tá uma beleeeeeza.
E vocês, por que não vem em julho para os megas? Vão ter 3 megas seguidos! (8 a 15, 15 a 22 e 22 a 29/julho). 3 semanas de darshans é simplesmente fechar meu processo com chave de ouro!!! Minha passagem tá marcada para 2/agosto.
Venham! Venham!!!
E vocês, como estão? Não consigo responder a cada um depois... Não há tempo. Mas me contem como estão. E as reuniões? Quem tem ido?
Amo vocês!

Fabi
(Fabiana Lopes Simões - Coordenadora de Brasília)

Adorei Fabi!
Obrigadíssima

terça-feira, 24 de maio de 2011

PENSANDO FORA DA CAIXA

Você é uma pessoa rigidamente estruturada? Você se sente aprisionado por suas próprias ideias, como se estivesse dentro de uma caixa? Se sim, a pergunta é... está pronto para mudar?
Apenas ter conhecimento dessa rigidez dentro de si já é uma coisa muito boa: você não pode tomar nenhuma decisão consciente para mudar algo até que esteja consciente deste algo. Quando você percebe o que está acontecendo, você pode começar a fazer o oposto: se a sua rigidez chegou ao ponto de te causar elevados níveis de estresse, se o menor desvio de suas expectativas de como as coisas deveriam ser te traz grande ansiedade, essa é hora de começar a derrubar as paredes das suas opiniões. Isso não tem que ser um processo desconfortável – no final, é incrivelmente libertador – então abordê-o de forma leve: comece a abrir as caixas de sua mente com o entusiasmo e o encantamento de uma criança na manhã de Natal.
Tendo a vontade de mudar, você pode se aproximar de cada caixa e começar a descobrir o que está dentro. Talvez você vá encontrar algumas idéias antigas, que podem ter parecido muito inteligentes na época, mas que agora não te servem mais. Ou talvez você desembrulhe alguns apegos subconscientes, que talvez seja hora de deixar de ir também.
Não se engane quando se trata de apegos: isto não é abandono, você simplesmente está deixando ir o medo que você tem projetado sobre a pessoa ou objeto em questão. Como resultado, você está somente perdendo o que te limita e te impede a satisfação absolutoa, a paz permanente, o amor incondicional por si mesmo e pelo mundo.
Pessoas com muitas caixas também têm aspectos muito bonitos: eles têm uma certa rigidez que lhes permite ser altamente focados. Então use isso para se focar em ser livre, para se focar em praticar aquilo que te faz bem, use-o para revelar o melhor de si mesmo. Se você é uma pessoa teimosa, por exemplo, use essa qualidade para teimosamente escolher o que te cura, escolher amar a si mesmo. Seja cabeça dura, mas para amar a si mesmo! Use isso a seu favor.
A medida que você continuar a abrir suas caixas e esvaziá-las, você começar a viver em uma caixa enorme, grande o suficiente para conter toda a totalidade. É uma 'caixa' cheia de amor, sem paredes e sem limites. Quando você assumir o compromisso de curar-se, esta 'não-caixa' ilimitada torna-se o seu objetivo.

Texto da Isha, traduzido por Luiza Caetano
Obrigada Lulu!

Para receber o conteúdo do blog em sua caixa de entrada escreva para:
estudantes.isha.brasil@gmail.com

JORNADA ISHA EM BH







Em 15 e 16 de maio tivemos uma fantástica Jornada de Estudantes Isha do Brasil,
em um simpático hotel nas proximidades de Belo Horizonte.
Estiveram na jornada estudantes do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. E ainda tivemos o apoio do mestre Hernan, diretamente do Uruguai, por videoconferência.
O encontro foi incrível!
Foi reconfortante sentir todos com o mesmo objetivo, o mesmo foco, no crescimento e na consciência. Cada um contribuindo com sua expressão, com sua emoção, com sua experiência para o crescimento de todos.
De repente parecia que estávamos todos juntos no La I. O La I era aqui!
A consciência e o crescimento não estão em outro lugar, a não ser no lugar onde está a vontade e o desejo de ser mais consciência, está no coração de cada um.
Esse encontro proporcionou um vínculo forte entre todos os participante, cada um pode perceber a força do foco individual e do grupo no crescimento da consciência.
Obrigada a todos por essa jornada MARAVILHOSA!!!!!
E já reservem as datas de 8 e 9 de outubro, vamos ter outra Jornada ainda mais incrível.

beijos,
Sonia Duarte

terça-feira, 17 de maio de 2011

ISHA NOS FALA DO MEDO AO DESCONHECIDO

Você tem que ir além de suas limitações e de seus medos ao desconhecido, descobrir o que existe por trás deles e transformá-los em conhecido. Se você não vai além, não estará experimentando a si mesmo em toda a sua capacidade e potencial, nem mesmo estará sentindo sua grandeza, que está batendo forte dentro de você, esperando expandir-se e a ironia é que você está esperando justamente neste lugar desconhecido.
Se anime a descobrir, a viver com paixão, cem por cento, a experimentar a plenitude, a alegria,a paz e o amor incondicional que existe em seu coração.Tudo isto não está em nenhum outro lugar mais que aí e quando encontrar, vai perceber que você sempre soube que era por aí o caminho, que não era algo desconhecido, mas que simplesmente você havia esquecido.
Este medo, então, se transforma em um grande mestre e que podemos caminhar em direção a ele cada vez mais, até encontrar nosso verdadeiro ser.
E como podemos fazer isto? Primeiramente temos que desenvolver um espaço interno que chamo de amor consciência, que é para isto que servem as facetas que te ensino nos primeiros passos do Sistema. Ou se você está fazendo outra prática, o que seja que faça, te levará a desenvolver este lugar cálido, seguro dentro de você, esse lugar aonde você pode ancorar-se.
Quando os medos aparecem, sempre é algo de fora que os provoca, verdade? Algum pensamento relacionado com seus apegos, ou que algo mal pode acontecer, não é verdade? E geralmente te leva a se fechar, se proteger, a não passar dali, a dizer NÃO a algo novo.
Esse refrão tão usado: “ mais vale um mal conhecido que um bem por conhecer”, você já pensou alguma vez no significado real disto? Então, quando aparecer o medo, vá e se conecte com este espaço interno. Assim você pode ver os medos que aparecem e ativam a resposta de defesa e desta forma escolher ir para dentro.
Por exemplo: se te dá medo fazer uma mudança, seja de lugar, de trabalho, de companheiro, de look, do que seja, o mais importante é sentir. Assim que em vez de se paralisar, poderá ir além e escolher operar a mudança, o novo, ainda que o medo continue aí.
Se te dá medo dizer o que você sente pelo que possa provocar em uma situação ou relação onde guardou tudo até agora, mesmo que neste momento o medo esteja aí, vá e fale exatamente o que sente.
Em realidade cada um pode aplicar isto e ir além em muitas coisas, é a escolha básica de que eu sempre falo. Existem duas opções: escolhemos o medo ou escolhemos o amor. E quando escolhemos não ser mais prisioneiros do medo, então estamos nos amando.
É simples, em realidade é abrir-se a ir além dos limites, é dizer um grande SIM a si mesmo e assim poder receber o infinito fluido do universo que somente quer nos dar o melhor.
É uma mudança interna que muda todo o externo. Anime-se!

ISHA NOS FALA DO MEDO AO DESCONHECIDO EM EMOL CHILE.
Publicado: 15 Maio 2011 04:16 PM
O medo ao desconhecido (II parte)

Texto traduzido e enviado por Maria Valéria Guimarães.
Obrigada Valéria!

Para receber diretamente o conteúdo do blog "Estudantes Isha Brasil" na sua caixa de entrada escreva para
estudantes.isha.brasil@gmail.com

terça-feira, 10 de maio de 2011

MUDANÇAS
(José Geraldo Rodrigues - Estudante récem chegado, após seis meses em La I)

A todo instante estamos sujeitos a mudanças. Alguém se esquece de nos avisar que não vai aparecer, a luz acaba no meio do banho, nós ganhamos uma promoção no trabalho ou um sorteio de uma viagem. E pelo menos comigo, isso me move bastante por dentro: tenho medo, procuro com quem me juntar para não me sentir inseguro, penso em não aceitar a novidade que apareceu.
O quê estou fazendo em cada situação em que uma mudança grande ou pequena surge na minha vida, é encará-la como uma oportunidade para sentir.
Já falei do peque no incômodo que sinto ao receber um elogio, não é? Pois bem, também sinto um belo incômodo quando as coisas mudam e principalmente quando tenho que tomar mais responsabilidade.
Uma das coisas que mudaram comigo é que deixei de responsabilizar a minha mãe pelas decisões da minha casa. Estou morando com ela de novo há um mês e o que antes eu criticava e pensava que ela precisasse resolver (coisas como dizer à faxineira o que fazer, verificar o trabalho do encanador ou decidir convidar os primos para uma pizza) agora faço eu e sinto na pele o prazer de amadurecer. Não é cômodo, mas é libertador. E principalmente, posso parar e voltar a apreciá-la pelo excelente trabalho que ela sempre fez e eu simplesmente não enxerguei.
Da mesma forma, se estendo essa idéia aos meus outros companheiros humanos, passo a apreciar tudo que conquistamos até hoje e que nos custou esforço e criatividade. Aí eu me pergunto: mas e tudo de errado? E toda a violência, a guerra e a traição?
Eu não sei. Eu sei que no meu caso, quando precisei lutar com o mundo, era porque as coisas não andavam bem dentro da minha casa. E hoje eu sei, cada vez mais, que é aqui dentro que eu preciso entrar se eu quiser ver um mundo cada vez mais em paz.
É o que quero compartilhar com vocês.
E hoje, a reflexão da sexta-feira começou na segunda…
Os tempos estão realmente mudando rápido.
Um grande abraço,
Geraldo

Obrigada Gera por seu compartilhar!

terça-feira, 3 de maio de 2011

PRÓXIMOS MEGAINTENSIVOS COM ISHA EM LA I - URUGUAI

No mês de julho teremos 3 megaintensivos no Centro Isha (La I) em Costa Azul- Uruguai

As datas dos megas são:
8 a 15 de julho
15 a 22 de julho
22 a 29 de julho

Aproveito para convidar todos à participarem.

Para mais informações escrevam para: brasil@isha.com
Ou liguem:
São Paulo: 3711 8467
Belo Horizonte: 3231 4183
Brasília: 3717 3070